A MCR
 Apresentação

 Media Comunicação Regional Tv - MCR - é um  canal de televisão online, sediado na cidade  daSenhora da Hora, concelho de Matosinhos. É    um orgão de comunicação social regional com  todos os atributos inerentes a uma empresa do  género, mas tem ainda o objectivo de procurar e  divulgar os artistas ocultos existentes na região  onde a MCR exerce a sua acção.

Uma Noite de Humor... Onofre Varela não deixa que as pessoas se entristeçam. E  foi assim no dia 19 de Setembro, na Escola Príncipe da Beira Gueifães - Maia 2014 Varela, Actor experiente não se inibiu perante uma plateia completamente lotada. Os décibeis dos risos que se soltavam em  uníssono, despertava a quem passava no exterior, um espanto de tanta alegria.

 

AINDA DO ONOFRE VARELA


Onofre Varela nasceu no Porto em 1944, estudou pintura e exerceu a actividade de desenhador gráfico em litografia e agências de publicidade, antes de abraçar a carreira de jornalista (na área do cartune), em 1970, no jornal O Primeiro de Janeiro. Colaborou com a RTP, desenhando em directo a informação meteorológica no programa Às Dez e animando espaços infantis. Foi caricaturista e ilustrador principal no Jornal de Notícias, onde também escreveu artigos de opinião, crónicas e entrevistas. Premiado em Portugal e no estrangeiro nas áreas da caricatura e da criação de logótipos, expôs os seus trabalhos satíricos em Portugal, Espanha, França, Turquia, Macau e Brasil. Publicou O Peter Pan não existe, Caminho, 2007; é coautor de Cinco Enterros do João, Arca das Letras, 2006. Onofre Varela é uma das personalidades mais conhecidas da região do Porto

 

Unidos pelo gosto comum à musica tradicional portuguesa, foram - se juntando um grupo de amigos com o intuito de dar corpo a um projecto dentro dessa área musical, vindo a consubstanciar tal intuito na sua primeira actuação realizada no dia 25 de Abril de 1991, nas comemorações deste dia organizadas pela Junta de Freguesia de Baguim do Monte. Após esta, os convites sucederam-se e o grupo começa a calcorrear um pouco por todo o país, quer em romarias, feiras de artesanato, concertos de reis, etc., emprestando uma ligação ainda mais forte ao trabalho em mãos, surgindo como consequência lógica a necessidade de apresentar algo que marcasse a sua presença no espectro nacional deste género. Assim, surge em 1996 o C.D. "Estreca e Rega" com trechos recolhidos em diversos Cancioneiros Populares, que veio alargar ainda mais os horizontes do grupo, desde logo pelo aumento fulgurante de actuações a pedido quer de comissões de festas quer ainda de agentes de espectáculos ligados ao meio em questão. A par disto, contudo, crescia, também, uma maior responsabilização e empenho nos elementos do grupo, nascendo a consciência de que o projecto em curso não se esgotava, necessariamente, no vector divulgação, podendo ir mais além até ao vector formação, alargando, assim, a área de acção até aos diversos campos do património historico-cultural português. Estava lançado o desafio e, em Junho de 1999, depois de cumpridas todas as formalidades legais e burocráticas inerentes, é registada a COOPERATIVA CULTURAL GRUPO DE MUSICA TRADICIONAL PORTUGUESA ARCO DO BOJO , com Sede na Rua da Boucinha, 357 - 4435 BAGUIM DO MONTE, cuja primeira decisão foi a de criar uma Escola de Musica como forma de ensinar e incentivar o contacto da população com diversos instrumentos de cariz tradicional. Cientes de que, agora mais que nunca, é necessário um grande empenho na preservação do património português em todas as suas vertentes, sob pena de diluição face à continua invasão de outras "culturas" , a Cooperativa Arco do Bojo, lança no mercado o seu 2º C.D., intitulado "C'antigas", também ele fruto de recolhas efectuadas em diversos Cancioneiros Populares Portugueses. Neste momento o Grupo Arco do Bojo tem em agenda muitos espectáculos em todos os pontos do país, nos quais aposta na divulgação do seu já vasto repertório musical. Composto por sete elementos, o Grupo recorre essencialmente ao Cavaquinho, Viola Braguesa, Bandolim, Viola, Baixo, Gaita de Foles, Flautas, Bombos, Piano e Percussões variadas, para apresentar o seu espectáculo a que também não falta aparelhagem sonora e de luz, perfeitamente adequadas e estudadas para o efeito.

Galandum Galundaina com vinte anos de existência,

é investigador da música, dança, e da língua das terras de Miranda do Douro

Este extraordinário grupo musical, composto por quatro elementos,

é também pesquisador e fazedor de instrumentos populares, e  procuram

novas sonoridades em objectos utilitários

Esta banda internacionalizada de raízes mirandesas, já deu a conhecer

a qualidade e o talento da arte musical que produzem, em mais de uma dezena

de países. Alem de vários prémios, o álbum Sr. Galandum está entre os melhores

dez nacionais.

 

Agosto 2014

Esta ultima parte de três, demonstra bem os milhares de pessoas

que se deslocaram mais uma vez, a esta Feira Medieval de Leça do Balio - Matosinhos

Freguesia esta, pertencente à União de Freguesias Custóias,Leça do Balio e Guifões

liderada pelo Eng. Pedro Gonçalves.

Só um alerta à organização. Os pontos para adquirir ingressos, são demasiadamente escassos

para os milhares de pessoas que pretendam desfrutar  deste excepcional evento.


Setembro 2014

Ultimo dia da Feira Medieval de Leça do Balio - Matosinhos - Portugal

Domingo, 14 de Setembro. Centenas de pessoas aguardavam pela encenação

do casamento de D. Fernando e Dona Leonor Teles. No cortejo, onde se inseria

a Nobreza, o Clero e o Povo. Os bobos animavam,  enquanto que o Rei e a Rainha

largavam  sorrisos para quem os fitava.

Os muros humanos,  que se erguiam à passagem do casamento monárquico, dificultavam

toda a articulação do préstito, mas o civismo impôs-se em todo o trajecto.

 

Setembro 2014

Sábado, 13 Setembro 2014 19:45

FEIRA MEDIEVAL - LEÇA DO BALIO - MATOSINHOS 2014

Escrito por

A Feira Medieval de Leça do Balio - Matosinhos 2014

dispensa comentários. É de novo, o maior evento do género,

no Norte do pais.  E mais uma vez, a C M Matosinhos está de parabéns.

 

Setembro 2014

Em quatro de Setembro de 2014, na Biblioteca Florbela Espanca em Matosinhos

Miguel Correia deu a conhecer a público a sua nova obra. Desta vez escrita

com o titulo "As Crónicas dos Tugas"

Excertos de histórias do quotidiano. Na rua, no mercado, no super mercado,

na farmácia enfim, conversas cruzadas no tempo e no espaço. Com trocadilhos

e interpretações mais conflituosas ou não, o lançamento deste livro, teve a responsabilidade

da editora Chiado.

«InícioAnterior12345678910SeguinteFinal»
Pág. 1 de 16